Como reduzir a sua taxa de rejeição? Confira 7 ótimas dicas!

Também chamada de Bounce Rate, a Taxa de Rejeição é capaz de dizer o quanto as pessoas estão interagindo ou não com seu site ou blog. Essa métrica diz muito sobre a experiência do usuário e, por isso, analisá-la é de vital importância.

É uma taxa que avalia, por exemplo, quando uma pessoa entra no seu site e não faz nada antes de sair. É possível determinar qual ação analisar, por exemplo, se a pessoa saiu da página sem clicar em um link específico, ou não preencheu o cadastro e assim por diante.

Sendo assim, é um número de grande importância para a equipe de marketing, vendas e, consequentemente, para o sucesso do seu e-commerce. Saiba mais sobre o assunto e como reduzir sua Taxa de Rejeição!

O que é Taxa de Rejeição?

Trata-se de uma porcentagem que mostra quantas pessoas acessaram o site do seu negócio e saíram sem fazer uma nova ação como passar para outra página ou clicar em algo. Cada vez que alguém faz isso, a sua Taxa de Rejeição aumenta.

Qual a diferença entre Taxa de Rejeição e Taxa de Saída?

Essas duas métricas costumam ser confundidas, mas apresentam números diferentes. Por exemplo, a Taxa de Rejeição está relacionada ao fato de alguém acessar apenas uma página do seu site.

Já a Taxa de Saída mede quantas pessoas estão deixando o seu site a partir de uma determinada página. Não importa se aquela é a primeira página ou a décima que o usuário já viu.

Por que acompanhar a Taxa de Rejeição?

Digamos que o seu objetivo para o usuário, ao acessar o seu e-commerce, seja que ele chegue, pelo menos, até a página de cadastro. É algo que exige apenas um clique, mas ainda assim, o usuário saiu do seu site sem concluir esse passo. Ou seja, o objetivo não foi alcançado.

Quando esse tipo de coisa acontece, a empresa pode começar a pensar sobre qual o motivo disso ocorrer. O que está causando a saída das pessoas do site sem, ao menos, acessar uma outra página — de um produto, por exemplo. Isso pode ser um ponto importante para melhorar a estrutura da sua loja virtual e assim, aumentar as chances de vendas.

Quando essa Taxa de Rejeição vem do Google Ads é ainda pior porque a sua empresa investiu dinheiro para anunciar. Assim, quando alguém clica no anúncio, vai para o seu site e sai em seguida, significa que o seu custo por lead aumentou consideravelmente.

Como medir a Taxa de Rejeição?

Bom, para entender os resultados e tomar decisões, o primeiro passo é saber medir essa taxa. Olhar o site como um todo pode não ser a melhor opção, porque os números não conseguem ser tão específicos.

Mas existem algumas outras formas melhores de medir essa métrica. Eis algumas boas opções:

  • Taxa de Rejeição dos links de terceiros;
  • Taxa de Rejeição das palavras-chaves;
  • Taxa de Rejeição das páginas mais acessadas;
  • Taxa de Rejeição de blogs.

7 formas de reduzir a Taxa de Rejeição do seu e-commerce

Agora que você já sabe qual é o problema, chegou a hora de saber como resolvê-lo. Selecionamos abaixo as melhores formas de diminuir a Taxa de Rejeição do seu site. Acompanhe!

1. Analise o layout com cuidado

Todo mundo gosta de um site visualmente bonito, que seja limpo — ou seja, sem poluição visual — e agradável. Usar cores muito chamativas, especialmente se forem muitas ao mesmo tempo, pode não ser a melhor opção, pois acaba confundindo a mente do usuário.

Você pode e deve usar as cores que representam a sua marca, mas de forma que não “pese” aos olhos de quem acessa. Peça a algumas pessoas para olhar o seu site e dizer o que acham. A partir disso fica mais fácil identificar se ele precisa ou não de melhorias.

Veja também: Pensando em criar um layout para loja virtual? Saiba como!

2. Aplique o SEO

O SEO (Otimização Para Motores de Busca) não é apenas para blog como muitos podem pensar. Ele é indicado também para um site. Trabalhar bem o SEO do seu e-commerce ajuda para que ele seja encontrado facilmente nos mecanismos de pesquisa do Google e também para reduzir a Taxa de Rejeição.

3. O site precisa ser responsivo

Ter um site responsivo é ter um site que se adapta facilmente a qualquer tamanho de tela. Dificilmente alguém ficará em um site que tem letras minúsculas na tela do celular. Se não é possível ver bem o que tem no seu e-commerce, as pessoas fecharão a página imediatamente e irão para o concorrente.

4. Saiba categorizar bem

Ainda visualmente falando, colocar as categorias da forma correta para o usuário é muito importante. É essencial que, logo ao entrar no site, o usuário possa identificar as principais categorias de produtos. Dessa forma, ele logo entenderá que o que ele está procurando vai encontrar no seu e-commerce.

5. Foque na experiência do usuário

A ideia principal aqui é despertar uma sensação de prazer ao acessar o site. Ou seja, o usuário vai conseguir procurar o que ele precisa ali dentro e realizar a compra sem maiores problemas.

Por isso, é muito importante analisar alguns pontos como o tempo de carregamento do site tanto para mobile quanto para computador. Se sua página demorar muito para abrir, certamente a página será fechada e o consumidor irá para o site do concorrente.

Sendo assim, revise seu site e faça testes. Você pode usar, por exemplo, uma ferramenta chamada de SEO Analyzer por meio da qual você pode fazer uma pequena auditoria no seu site e ver, inclusive, o tempo de carregamento.

6. Crie uma boa descrição dos produtos

Esse é outro ponto de grande importância e a descrição dos produtos, especialmente, aquelas informações que costumam ficar logo na primeira página como nome, modelo, preço e formas de pagamento. É muito frustrante, por exemplo, quando o consumidor escolhe um produto, clica nele e percebe que o preço é maior do que pode pagar.

7. Tenha uma área de pesquisa

Para facilitar a busca do usuário pelo produto, uma ótima opção é colocar um local na página inicial em que ele possa digitar o nome do produto e encontrá-lo. Ou seja, além de buscar pelas categorias, também é importante que a busca possa acontecer de outra maneira.

Viu como existem diversas formas de reduzir a sua Taxa de Rejeição? Talvez, tudo isso seja um pouco complicado para você neste primeiro momento, mas uma ótima opção é contratar alguém que entenda do assunto para identificar os problemas no seu e-commerce e realizar as mudanças necessárias.

A Anova pode fazer isso por você e fazer o seu e-commerce vender muito mais! Entre em contato com a gente, converse com nossos especialistas e saiba como podemos ajudá-lo!